Notícias

Parceria com UFMG leva a prática científica aos alunos do Middle Years



O Programa de Ciências da Maple Bear baseia-se no princípio de que aprender ciência é fazer ciência. E a partir dessa premissa, foi desenvolvido o projeto “Living Science / Educa com Ciência” em parceria com o Departamento de Fisiologia e Biofísica da UFMG. Trata-se de uma iniciativa que proporciona aos alunos do Middle Years completa imersão na rotina de um cientista, incluindo a utilização de equipamentos de laboratório e contato direto com profissionais do meio acadêmico.

Na primeira etapa do projeto, ocorrida no último dia 6 de julho, o Year 6 recebeu nas dependências da Maple Bear Santa Lúcia as PhD Grace Schenatto, Maristela Poletini e Sílvia Guatimosim para uma série de atividades envolvendo a aplicação da eletricidade à biologia. “O objetivo aqui é trazer a perspectiva de um universo diferente para os alunos, de forma que estimule a curiosidade e desperte o interesse pela ciência e pelo conhecimento”, afirma a Dra. Grace.

Para que o objetivo fosse alcançado, desenvolveram-se três práticas. Na primeira, foi feita a análise em um microscópio de como a eletricidade pode gerar contrações em células cardíacas – no caso, em órgãos de roedores. Na segunda, um estimulador gerou contrações nos braços dos próprios participantes. E na terceira, impulsos sonoros da música eletrônica e do hard rock foram capazes de movimentar a pata de uma barata. “Vimos células contraindo e sem contrair, vivas e mortas, e percebemos que a contração acontece com a eletricidade”, resume a aluna Maria Eduarda.

“Trouxemos células, coração e estimuladores para os alunos poderem ver de forma macroscópica e microscópica, além de demonstrar a influência de eletricidade sobre o corpo”, explica a Dra. Maristela, acerca das atividades que levaram o dia a dia do meio acadêmico para o Ensino Fundamental da Maple Bear. “Com essa experiência, os alunos puderam entender a realidade de um cientista e relacionar com o que aprendem na escola”, conclui a coordenadora do Programa de Ciências Andreza Felix. Que essa associação desperte, portanto, a ânsia por conhecimento nessa nova geração de cientistas em potencial!

Próximas etapas

Em meados de agosto, será a vez do Year 7 participar do projeto. A turma participará de atividades envolvendo calor e temperatura, como a análise do movimento de partículas, a medição de temperaturas e a construção de um termoscópio de Galileu. Depois, tanto o Year 7 quanto o Year 6 irão até à UFMG para apresentar os trabalhos desenvolvidos e visitar os laboratórios durante a Semana do Conhecimento da UFMG.

 

UFMG Partnership Brings Scientific Practice to Middle Year Students

Maple Bear’s Science Program is based on the principle that learning science is practicing science. Under this premise, the “Living Science / Educa com Ciência” was developed in partnership with UFMG’s Physiology and Biophysics Department. It is an initiative to provide Middle Year students complete immersion in the routine of a scientist, including the use of laboratory equipment and direct contact with academic professionals. 

In first project stage, which occurred on July 6th, the Year 6 class welcomed the PhD Grace Schenatto, Maristela Poletini and Sílvia Guatimosim to the Maple Bear Santa Lúcia Campus for a series of activities regarding the application of electricity to biology. “Our goal is to bring the perspective of a different universe to students, in order to stimulate curiosity and awake the interest for science and knowledge”, says Dr. Grace.

To achieve this goal, three practices were developed. First, an analysis through microscope on how electricity can generate contractions on cardiac cells – this case, on rodents’ organs. Then, a stimulator generated contractions on the participants’ own arms. And finally, sound pulses of electronic and hard rock music were able to move a cockroach’s paw. “We saw contracting and non-contracting cells, dead and alive cells, and got to know that contraction happens with electricity”, resumes student Maria Eduarda.

“We brought cells, a heart, and stimulators for students to see both in macroscopic and in microscopic ways, besides demonstrating the influence of electricity on the body”, explains Dr. Maristela, about the activities that brought the academic routine to Maple Bear’s Elementary School. “With this experience, students were able to understand the reality of a scientist and to make connections with what they learn in school”, concludes Science Program coordinator Andreza Felix. May this connection awaken, therefore, the eagerness for knowledge in this new generation of potential scientists!  

Next stages

In mid-august, it will be Year 7’s turn to participate in the project. The class will participate in several activities regarding heat and temperature, such as particles movement analysis, temperature measurement, and building a Galilean thermoscope. Afterwards, both Year 7 and Year 6 classes will go to the UFMG campus to present the works developed and to visit laboratories during UFMG’s Knowledge Week.   

 

As doutoras Grace Schenatto, Maristela Poletini e Sílvia Guatimosim.

Experimento gera contrações nos braços dos próprios participantes. 

Análise em um microscópio.

Impulsos sonoros também podem gerar movimento. 

Estimulador neuromuscular. 

Laboratório da Maple Bear com visitas especiais. 

 

Leia também: Aluno da Maple Bear é destaque na natação mineira

 

 

Voltar